quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Jobson Espera Autorização da Justiça para Assinar com Time Paraense




Aos 32 anos Jobson craque do Botafogo nas temporadas 2009/2010, está apalavrado com o Independente de Tucuruí. Apesar de já ter definido todos os detalhes do contrato, ele ainda não pode assinar nada com o Galo e nem mesmo sair de Conceição do Araguaia, como explicou o presidente do Independente, Deley Santos: “O Jobson ainda não veio [a Tucuruí] porque, para vir para o Independente, eu tenho que pegar a autorização da juíza da comarca de Conceição do Araguaia para ele poder trabalhar aqui. Porque, hoje, ele está autorizado para trabalhar no Rio de Janeiro. Se ele chegar aqui, a imprensa vai dar em cima, então a Justiça pode entender que é desobediência e vão recolhê-lo para o presídio”, disse.
Para evitar problemas na Justiça, o Galo de Tucuruí está construindo um pré-contrato com advogados do jogador para tentar agilizar a solicitação junto à Justiça. “Fizemos um pré-contrato detalhando o endereço que ele vai morar em Tucuruí para o juiz autorizar a vinda dele. Já providenciei com o advogado dele toda a documentação”, falou.
No entanto, o regulamento do Campeonato Paraense só permite contratação de atletas até o dia 28 de março. Depois de cinco rodadas e tendo mais cinco da fase classificatória pela frente, o prazo para a regularização de Jobson é curto. “Estamos tentando resolver isto esta semana, até a sexta-feira. Estamos dependendo do juiz liberar a vinda dele”, destacou Deley.
Jobson Leandro Pereira de Oliveira surgiu no Brasiliense em 2007. Ele passou pelo coreano Jeju United em 2009 e logo chegou ao Botafogo, de onde ganhou projeção nacional. Quando estava sendo cogitado até para a Seleção Brasileira, o jogador foi pego no primeiro doping, de cocaína. Ele assumiu que era usuário e recebeu apoio do Fogão com tratamentos médicos, mas teve recaídas e acabou dispensado.
Apesar dos 32 anos de idade, o atacante já passou por 12 clubes, entre eles o Atlético Mineiro, o Bahia e o São Caetano, antes de ir para o Al Itthihad, da Arábia Saudita, onde se recusou a passar por exame antidoping e foi suspenso do futebol por quatro anos pela FIFA, em 2014. Durante este período, foi suspenso até de um campeonato amador de Conceição do Araguaia por ter batido em um árbitro e em um jogador, além de ter sido inscrito em dois times diferentes.
Fonte: O Liberal